Mostrar mensagens com a etiqueta Publicidade. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Publicidade. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, abril 21, 2016

Os momentos de visibilidade Positiva - Estratégia de Marketing



Os momentos de visibilidade Positiva  
Todas as empresas têm de mostrar visibilidade para conseguirem vender seus produtos e serviços!
Algumas investem quantias elevadas em publicidade!
Muitas esquecem-se de criar processos simples que podem propiciar visibilidade Positiva!
Este processos por vezes são gratuitos ou de custos relativamente baixos, mas de imensa produtividade comercial!
Os contatos com clientes ou possíveis clientes não se devem limitar à publicidade, ao envio de correspondência, a reuniões de trabalho ou vendas ou à distribuição ou entrega do produto ou serviço, devem ser consistentes noutras áreas tão simples e por vezes esquecidas, como as atitudes dos colaboradores!
Normalmente aconselho os meus clientes a criarem momentos de Visibilidade Positiva dos quais apresento 13 exemplos:
  1. 1.     Quando o cliente está exposto à publicidade da empresa:
    ·         Mensagens devem traduzir benefícios e resultados para o clientes!
    2.     Quando lhe solicitamos uma reunião;
    ·         È necessário mostrar profissionalismo no processo de marcação e organização da reunião!
    3.     Quando o vendedor exibe as amostras promocionais ao cliente:
    ·         Devem se fácil leitura e conter imagens atractivas!
    4.     Quando o cliente vê o produto nalgum ponto de venda:
    ·         O mesmo deverá ter boa apresentação e qualidade na exposição!
    5.     Quando o cliente telefona ou visita a empresa para solicitar informações ou para fazer uma encomenda:
    ·         Deverá ser respeitado, devemos efectuar  escuta activa e anotar os pedidos! 
    6.     Quando um Cliente vê um veículo de distribuição da empresa na rua.
    ·         Deverá ser fácil a leitura do nº de telefone e deverá haver uma explicação sucinta da catividade ou benefício! (conselho idêntico no cartão de visita)
    7.     Quando o cliente recebe a mercadoria:
    ·         Cuidado com prazos! As embalagens devem ser atrativas e devem ser cumpridas as normas legais e garantias;
    8.     Quando o cliente vê a embalagem do produto:
    ·         A embalagem deverá ajudá-lo a sentir o desejo e orgulho de comprar mais!
    9.     Quando utiliza o produto:
    ·         O mesmo deverá transmitir de forma positivamente o nome da empresa que lhe forneceu o produto ou serviço!
    10. Quando alguém lhe faz um comentário sobre o produto:
    ·         Devemos responder agradecendo o contributo pois vamos tomá-lo em conta no futuro!
    11. Quando se apresenta uma reclamação à empresa:
    ·         Um processo de reclamação poderá levar à fidelização de um Cliente. Pois a maioria dos clientes insatisfeitos não reclamam!
    12. Quando recorre ao serviço pós-venda:
    ·         É o momento em que podemos perceber se satisfizemos as espectativas do cliente!
    13. Quando recorre aos serviços técnicos ou de manutenção:
    ·         É mais uma oportunidade comunicar com o cliente e dar continuidade ao processo de fidelização!
Armando Fernandes

(Business Coach)

segunda-feira, abril 04, 2016

Estratégia de Marketing 4 - Segmentação


Temos de encontrar aqueles que queremos que se tornem nossos clientes!
Por isso devemos perceber quais são e planear a utilização dos recursos que dispomos ou que conseguimos contratar.
Devemos segmentar os mercados usando metodologias e abordagens diferentes no processo de segmentação.
Exemplos: Alem das tradicionais segmentações, geográfica, etária, rendimentos, dimensão do cliente,  frequência na compra, deverá pensar noutras associadas à sua atividade, considerando os nichos de mercado, promoções, circuitos de distribuição, qualidade e fiabilidade dos produtos e serviços e satisfação das necessidades dos clientes.

Armando Fernandes
Business Coach

sábado, abril 02, 2016

Estratégia de Marketing 3 - Especialização e e preço real


Uma empresa deve-se concentrar na produção e comercialização de produtos e serviços através da especialização e qualidade para que assim se possa aproximar facilmente dos seus clientes e respectivas necessidades.
Quando a empresa precisa de alargar a sua gama de produtos à venda deverá criar uma rede de parcerias a longo prazo pois pode evitar investimentos desnecessários e aumentar o rendimento de ambas em função de uma aumento em escala das vendas.
Será assim mais fácil estabelecer o preço real do produto que será constituído pelo preço de custo acrescido dos custos de distribuição e comercialização.
O estabelecimento de relações de confiança com a cadeia de distribuição e com o cliente final são fundamentais porque possibilitam  o desenho do produto ou serviço em função das necessidade destes, e o preço real é um preço natural e justo.

Armando Fernandes
Business Coach

sexta-feira, abril 01, 2016

Estratégia de Marketing 2 - Qualidade e Excelência


A sua principal prioridade é escolher ou criar produtos e serviços de qualidade e excelência!
Incentive os seus colaboradores, fornecedores e todos aqueles que tem influência na produção do produto ou serviço final a terem os mais elevados padrões de qualidade!

Armando Fernandes
Business Coach

quinta-feira, março 31, 2016

Estratégia Markting - 1 - Vantagem Competitiva


Devemos analisar os nossos produtos e / ou serviços e descobrir qual a nossa vantagem competitiva relativamente aos nossos concorrentes.
Perceber o que ele fazem bem e o que fazem mal!
Descobrir o que podemos fazer melhor que eles e comunicar aos nossos Clientes ou Potenciais Clientes.

Armando Fernandes

quarta-feira, abril 29, 2015

Atendimento e reclamações!

Quando compro um produto ou serviço, tenho como objectivo suprir uma necessidade ou satisfazer algum capricho, por vezes, ainda que poucas compro uma chatice!
Constacto que a maioria das pessoas não reclamam e quando reclamam por telefone como eu, para o “número de atendimento ao consumidor” somos confrontados com sistemas automáticos de atendimento que nos fazem imensas perguntas inuteis e nós queremos é falar com alguém para apresentar as nossas razões.
Estudos sobre a insatisfação do cliente mostram que cerca de 25% dos clientes ficam insatisfeitos pelas suas compras e que menos de 5% se quiexam. Os utros 95% sentem que não vale a pena o esforço de reclamar, ou então não sabem como reclamar.
Também são indicados nesses estudos que 50% dos que reclamam obtéem uma resolução satisfatória do problema.
Parece-me no entanto que os responsáveis e proprietários de muitas empresas, e algumas muito grandes, não se preocupam com os clientes e suas opiniões.
Pois entendem que uma reclamação é uma enorme chatice e perda de tempo!
Parece-me também que uma reclamação é exactamente o contrário! É a real oportunidade para donos das empresas mostrarem como se preocupam com os seus clientes, pois irão trabalhar as emoções dos clientes, podendo fácilmente converter o conflito num processo de fidelização.
Porque 95% dos clientes insatisfeitos, que não reclamam, tomam a atitude de não comprar, e de 50 a 70% dos que reclamam voltam a comprar desde que a situação seja resolvida.
Outro dado interressante é que um clientes satisfeito partilha em média a sua experiência com 3 pessoas enquanto um cliente insatisfeito indica a sua insatifiação a 11 pessoas
Caro empresário pense sériamente na forma em que trata as reclamações dos seus clientes!


Sr. Empresário: trabalhe estes conselhos, se tiver necessidade de falar e esclarecer algum conceito inscreva-se numa sessão de coaching, numa das próximas quintas-feiras. Terei muito gosto em esclarecê-lo e ajudá-lo!

Armando Fernandes
Business Coach / Consultor de Negócios

quarta-feira, outubro 22, 2014

O que os Clientes Gostam - Notas de leitura do livro de Harry Beckwith “What clients love"

"Tudo o que você pode fazer, ou sonhar, comece. Ousadia tem genialidade, poder e magia. Comece agora. " Goethe

Nota de leitura do livro de Harry Beckwith“What clients love"


Estou relendo o livro de Harry Beckwith “What clientslove – a field guide to growing your business”

            Areflexão realizada por este autor é tão interessante que resolvi partilhar comtodos os leitores do meus textos.

Vale a pena ler estelivro que começa com a seguinte questão:
  • Será o seu negócio possível? Terá o seu negócio êxito?
  • Primeiro tente responder à seguinte pergunta:  - O que é que as pessoas gostam?
Não é importante o que os clientes dizemque querem. A verdade é que os clientes na maioria das vezes não sabem o quequerem!
O que é importante é que o empresário façaperceber aos clientes que aquilo que tem para oferecer é exatamente aquilo queeles querem.

Explica Harry Beckwith que nenhum clientepensou que precisava do multibanco e cartões de crédito, da Disneylândia , dostelemóveis.
Estes produtos e conceitos foram criadospor empresários brilhantes que pensaram que as pessoas adorariam ter estesprodutos ou serviços e criaram-nos para os seus clientes usarem e adorarem.
Transmite também algumas ideias de como devemosdesenhar os nossos projetos empresariais:     
·         Pede-nos para ponderarmos sobre aforma de como faríamos concorrência ao nosso negócio! Depois desta ponderação eidentificarmos uma fraqueza, só temos de ter uma atitude – ELIMINÁ-LA! 
·        Pede-nos para fazermos uma pergunta a nóspróprios. “Se eu começar do zero, o quefaria diferente?”
·         Indica-nos que o valor doplaneamento está no processo, porque nos  ensina muito sobre os colaboradores, clientese mercado!
·        Pede-nos para encontrarmos o “white hotcenter”. Existem especialistas, editores de opinião, pessoas com poder einfluência que tem capacidade de criar seguidores e conseguem ditar as escolhasaos clientes. DEVEMOS USÁ-LOS.

PLANEAMENTO

Apresenta-nos os seguintes 14 Princípios de Planeamento:
1.    Esqueça o futuro. Temos previsões eprofecias, podem não ser verdadeiras! As pessoas pensavam que TV eliminaria anecessidade de rádio. Não aconteceu! Devemos planear nas nossas previsões e deacordo com aquilo que entendemos que as pessoas irão adorar.
2.    Pare de ouvir. Os homens não admitem quechoram! As pessoas não se revelam facilmente  O público do sexo masculinonunca vai admitir que derramar lágrimas. Quando fazemos pesquisas ao mercadodevemos olhar para aquilo que não é visível!
3.    Celebre a loucura. Porque é que as pessoasficam uma noite inteira sentadas a ver um reality show? A sua ideia podeparecer tola , por ser tola é que funciona!
4.    Resistir autoridade. Coloque 8 pessoas emuma sala e veja como a personalidade Alfa se assume. Se você é um Alfa, deveráaprender a ouvir pois os outros tem também ideias;
5.    Olhe para os especialistas com ceticismo;
6.    Cuidado com as pesquisas científicas demercado, elas raramente revelam o que os clientes realmente gostam;
7.    Desconfie da  sua experiência ememória. Às vezes, nós lembramo-nos de coisas que nunca aconteceram. Noventapor cento das testemunhas oculares de crimes transmitem dados errados;
8.    Confiança e desconfiança. Não permita queas convicções de outras pessoas fortes o influenciem. Eles usam a confiançacomo ferramenta de persuasão;
9.    Evite  a perfeição. Busque aexcelência profissional;
10.  O senso comum vai mantê-lo longe de problemas, mas romper requerimaginação.
11.  Abrace impaciência. As grandes organizações sofrem de inércia. É necessáriomanter o negócio em constante movimento;
12.  Procure a água. Nunca sabe onde a água está até a encontrá-la;
13.  Gaste menos tempo num determinado plano, e envie equipas pequenas emdiferentes direcções. Nada no negócio está garantido. Sucesso do passado não éa garantia de futuro. Para aprender e viver é necessário continuar a trabalhar;
14.  Procure o investimento que tragam maiores retornos. Cada minuto e cada notagasta deverá trazer benefícios maiores que o investimento. Esteja sempre esempre atento para conseguir melhores resultados.

Harry Beckwith manda-nos esquecer a "declaração de missão / visão", que está afixada na parede doescritório, à qual ninguém presta verdadeiramente atenção. Pois é uma simplesdeclaração de propósitos.
Sugere que se renomeie missão e que aapresentemos como uma “paixão”, ou  “ nosso motivo de trabalharmos todosos dias”. Indica também que não deverá ser só sobre ganhar dinheiro! Deverátambém apresentar uma indicação poderosa e ambiciosa para atrair clientes einspirar funcionários e que por si própria coloque a empresa a produzirresultados.
Sugere também que se comunique melhor avisão e que seja transmitida uma ideiaforte e firme, como JFK o fez quando afirmou “A América vai colocar o homemna Lua”.
Se toda gente se sentir confortável comesta ideia de visão, o êxito não está garantido. A ideia tem que criar algumdesconforto para obrigar pessoas a reagirem.
Constata o autor que as pessoas são maishonestas quando falam ao telefone, porque nós não estamos a vê-la. Compara asituação como se a pessoa estivesse num confessionário. Por isso sugere quefalemos com os clientes ao telefone pois conseguimos obter uma visão melhorsobre os nossos serviços.
Sugere também que façamos leituras de clássicos e das suas obras pois elas dão-nosindicações muito fortes sobre a natureza humana e assim conseguimos entendermelhor os nossos negócios.
Explica também que a Internet para amaioria dos negócios é simplesmente uma ajuda, não é a resposta. Dizendo que sea empresa não foi concebida para realizar negócios na Internet não deve esperardaí grandes resultados directos. Completa dizendo que para nove em cada dezempresas, a Internet é um cliente!
A comunicação eletrónica nunca  irá substituir o contacto direto, e oque interessa são as pessoas! 
A Internet leva-nos a negligenciar osrelacionamentos, e os negócios fazem-se de relações!

A ERA DA INFORMAÇÃO

Diz-nos também queestamos na era da informação e com uma sobrecarga de opções.
         Nos anossetenta tínhamos poucas opções de escolha. Hoje em dia, simplesmente com umtelefone e suas funções infinitas como pesquisa, chamadas em espera,reencaminhamento de chamadas, identificador de chamadas, correio eletrónico,etc. e porque a mente das pessoas está cheia de informações e opções a mensagemque temos de transmitir tem de ser clara simples e visual.     E rápida:
·        Que imagem usa para transmitir a suamensagem?
·        Consegue criar a expectativa de que éconfiável e qualificado?
·        A publicidade que produz distingue-o dosoutros?
·        Os seus materiais são feitos com a melhorqualidade?
·        Consegue dominar a arte de criar umagrande primeira impressão?
·        Não crie estereótipos negativos?
·        Simplifique tudo. Crie mensagens simples eclaras. Coloque as pessoas confortáveis com clareza e simplicidade
·        Faça chamadas a frio (cold calls).
·        Coloque os jornais a rádio ou na TV afalar de si.
·        Faça publicidade.
·        Um artigo pode levar a um longo caminho.Editores dos jornais locais estão sempre à procura de material para preencher oespaço.
·        Seja um escritor profissional, numarevista, ou num blog digo eu! É um ´serio investimento no seu público e derelações públicas!
·        Obtenha depoimentos, mas cuidado com eles.Só funcionam se a pessoa tem testemunho credível e autoridade.
·        Evite o uso de palavras como de classemundial, certificada ISO, qualidade superior. Em vez disso, substituí-as comprovas.
·         Evite superlativos. Evite clichés,utilize o discurso direto.
·        Seja específico. A chave é ser breve. Aspessoas querem a sua informação rápida e direta.
·        Deve descrever o que o faz diferente eexcelente, em 25 palavras ou menos.
·        Prepare uma mensagem que todos percebam,edite-a e reescreva-a até o conseguir
·        Verifique se o seu modelo de campanha é oda vodka Absolut. Simples, visual, implícita, diferente, e obsessivo. “Absolutbrilliance”.


Armando Fernandes
Business Coach

sábado, fevereiro 15, 2014

Clientes e Vendedores!

Numa Workshop que realizei recentemente debatemos o conceito de Cliente e o seu comportamento. Surgiram algumas ideias que vou partilhar e gostaria de receber comentários!

O CLIENTE:
·         É a pessoa mais importante de qualquer empresa!
·          É a pessoa que não depende de nós, mas nós dependemos dele!
·         É  a pessoa que nos traz suas necessidades para que possamos satisfazê-las!
·         É  alguém que sempre tem razão???? !!!!
·         É  a razão de ser da empresa, porque afinal é através dele que se torna  possível recebermos os salários.

Sobre o comportamento dos clientes também surgiram algumas ideias:

OS CLIENTES:
        Avaliam pelos detalhes:;
        Pensam e compram emocionalmente. ;
·         Querem ter seus desejos e necessidades atendido;. ;
·         Constroem imagens o tempo  todo, sobre tudo e todos;;
·         Generalizam suas percepções. ;
·         Normalmente não esquecem a  maneira como são tratados;
·         Perpetuam percepções. ;
·         Avaliam a satisfação pelo atendimento das expectativas pessoais.

OS CLIENTES VALORIZAM:
        Confiança – Gostam de lidar com pessoas, empresas e situações confiávei;
        Empatia -querem ser: notados, escutados, tratados, compreendidos, reconhecidos , etc.;
        Responsividade – Acessível / disponível ;
        Segurança – Gostam de lidar com profissionais e situações não arriscadas ;
        Tangíveis – Tudo que é percebido  pelos sentidos deve ser agradável e estar de acordo com as suas expectativas ;

SOBRE A MENTALIDADE DO CLIENTE ACTUAL, ELE:
        Está bem informado;
        É mais exigente;
        Tem espectativas cada vez maiores sobre a qualidade;
        Tem enorme sensibilidade ao Preço ;
        Consulta vários fornecedores ;
        Tem percepção da utilidade;
        Tem Menor Lealdade;
        Quer ser tratado como único e exclusivo;
        É mais seletivo;
        Está mais preocupado com a qualidade.


Por tudo isto é necessário preparar e melhorar as competências dos vendedores!

quarta-feira, julho 24, 2013

Gestão do Tempo - Como Poupar tempo ao telefone


Poupar tempo ao telefone!

Quando a conversa ao telefone tem tendência para se alongar mais do que é necessário e queremos terminar a chamada temos de agir de forma educada. Sugiro que se tente recapitular, um dos temas que foi objecto da chamada e obter um esclarecimento efectivo, e depois concluir a chamada.

Quando está a efectuar chamadas de negócios deve ter cuidado a falar sobre coisas triviais, porque perdemos tempo e fazemos o nosso interlocutor perder tempo. Em diversos casos pode mesmo gerar um confronto de ideias.
O objectivo de uma chamada profissional é diferente da uma chamada para um amigo ou colega.
Nota: Não é perda de tempo a conversa trivial quando é usada para criar uma relação.

Quando estiver a ouvir a música de espera ou anúncios, "desconcentre-se" do telefone e prepare-se para a chamada telefónica.
A perda do tempo que está à espera pode ser utilizada na preparação duma chamada telefónica devidamente profissional.

Armando Fernandes
Business Coach

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Inquérito - A sua avaliação do seu negócio




Inquérito - A sua avaliação do seu negócio 

Através deste inquérito terei a oportunidade de conhecer melhor como interpreta o seu negócio, e assim ficar a conhecer as suas ansiedades e desafios.

 Responda a cada questão com os números de 1 a 7, Sendo 1 a classificação de que não se verifica e 7 há uma verificação absoluta, Os números intermédios correspondem ao grau de apreciação que faz.

 Escolha aquela que melhor se adapta à situação da sua empresa ou negócio. Depois de responder enviar-lhe-ei o resultado num período de 48 horas.


Para responder clique aqui

terça-feira, fevereiro 12, 2013

17,5 Ideias para fazer crescer um negócio

17,5 Ideias para fazer crescer um negócio

A experiência que tenho no coaching e consultoria de negócios levou-me à presente reflexão que tenho todo o gosto em partilhar!
1.     Encontre o seu nicho de mercado.
Uma empresa pequena com recursos limitados, nomeadamente pouco capital e reduzido número de colaboradores deverá tentar perceber naquilo que faz de melhor, especializar-se em produzir ou fornecer algo de muito bom e procurar arranjar os clientes que necessitam dos seus produtos e serviços.

2.     A especialização pode ser uma vantagem comparativa.
As pequenas empresas têm de pensar na melhor forma de competir com os gigantes. Elas têm algumas vantagens competitivas, pois conseguem ter maior flexibilidade para responder rápida e eficazmente aos pedidos que lhe são feitos, assim como fornecer serviços devidamente personalizados!
3.     Crie produtos e serviços diferentes.
As pequenas empresas podem personalizar os produtos e serviços que executam realçando esse facto pois podem apresentar soluções à medida das necessidades dos clientes. Por isso se a PME estudarem a concorrência e conhecerem efectivamente as necessidades dos seus clientes podem oferecer coisas diferentes e personalizadas que encantam os clientes.
4.     Impressione os clientes. Fidelize-os!
Não é normal ter uma segunda oportunidade por isso a PME deve impressionar desde o primeiro momento, porque normalmente não tem uma segunda oportunidade.
Quero com isto dizer que desde o atendimento personalizado (presencial ou ao telefone), deverá ser preciso, coerente, e criar empatia. Por isso deverá melhorar todas as suas competências na arte do atendimento e envolvimento com os clientes.

5.     Cuide da sua reputação
É de facto imperativo que a sua reputação seja boa, não só como pessoa, mas também da empresa, pois nas PME a empresa confunde-se com os seus proprietários. Por outro lado a qualidade dos produtos e serviços deve ser elevada para que cada cliente seja uma máquina de referenciação da sua empresa.
6.     Procure a melhoria constante.
A falta de cuidado com a qualidade pode levar ao afastamento de clientes, por isso a preocupação de servir bem, com qualidade no tempo útil (considero o tempo útil quando o clientes tem necessidade do produto ou serviço). Junte a esta preocupação a inovação pois assim poderá ir buscar mais clientes e surpreender os actuais. Por outro lado para os produtos e serviços inovados, há menor concorrência e por isso podemos conseguir obter mais-valias significativas.
7.     Escute seus clientes com atenção.
Ouvir os clientes é a melhor forma de perceber o que eles necessitam. Por outro lado é forma de criar a empatia necessária para melhorar as vendas. Os clientes gostam de se sentir importantes e ao serem ouvidos sentem que nos preocupamos com eles.
O facto de nos focalizarmos nos clientes ajuda-nos no processo de fidelização, e torna-os numa ferramenta de marketing para a nossa empresa pois recomendam-nos aos seus amigos e parceiros
8.     Planeie e monitorize a execução do plano
Diz  Brain Tracy no livro ”que em “cada minuto gasto com planeamento se poupa dez minutos de execução”.
Ora um bom planeamento ajuda a aumentar a eficácia do que é realizado, e permite antecipar os êxitos, controlar os riscos.
Planear é preparar a viagem, monitorizar é acompanhá-la com o mapa (hoje com o GPS), verificando a todo o momento se estamos a aproximarmo-nos do objectivo.

9.     Inove.
Inove a sua loja, inove no atendimento, inove nos produtos e serviços. A inovação é o trampolim para a melhoria continua, e pode ser fundamental para melhorar a eficácia da sua produção assim como para a sua reputação.

10. Trabalhe de forma inteligente, saiba gerir o seu tempo
Como um empresário, você precisa possuir ego – confiança, mais um senso interminável de urgência desenvolver suas ideias. Por isso uma boa administração do tempo é fundamental para ter sucesso.

11. Saiba efectivamente qual o seu ponto de equilíbrio e diminua os seus custos fixos
É fundamental perceber quais são os seus custos fixo, arranjar forma de ajustar às necessidades de produção e venda de forma a conseguir melhorar a sua rentabilidade.

12. Controle financeiramente a empresa
Controle as necessidades de tesouraria e programe os seus pagamentos e seja mais exigente no que respeita aos recebimentos.

13.  Faça uma boa gestão do tempo  
Agende, reagende e planeie o seu dia de trabalho. Não consegue realizar tudo o que planeou. É verdade 99% dos empresários não o conseguem fazer. Mas aqueles que planeiam e controlam a execução do que planearam tem muito mais sucesso.

14. Recrute bem, integre e motive os colaboradores
É fundamental ir buscar os colaboradores que necessitamos, para fazerem aquilo que queremos que façam, no momento em que é necessário. Criar uma cultura de envolvimento dos colaboradores, nos resultados e desígnios da empresa.

15. Estabeleça uma política de parcerias
Não está sozinho no mundo por isso procure outros empresários como você e estabeleça parcerias, onde possam partilhar serviços e produtos, assim como fornecer serviços e produtos complementares.

16. Faça Network    
Uma “Network” é uma rede de contactos pessoais e profissionais organizada, e estruturada para criar ligações de pessoas, com a finalidade de promover o intercâmbio de informações, formação e ajuda ao desenvolvimento de negócios.
Uma rede de contactos é uma das formas mais eficientes de relacionamento profissional, pois permite conhecer pessoas, cimentar relações e criar mecanismos de confiança favoráveis ao desenvolvimento de negócios e promoção do mercado de trabalho.

17. Obtenha Lucros
Como dizia Samual Gompers, em 1908, “o pior crime para os trabalhadores é o empresário falhar na obtenção de lucro”.

17,5 A ideia 17,5 é a aplicação prática de todas as anteriores

domingo, setembro 02, 2012

O que os clientes gostam - 3


             Continuando as notas de leitura ao livro de Harry Beckwith “What clients love – a field guide to growing your business”
            O autor fala-nos de blocos de construção de relação, baseados em Comunicações Claras.
            Diz-nos que estamos na era da informação e com uma sobrecarga de opções.
            Nos anos setenta tínhamos poucas opções de escolha. Hoje em dia, simplesmente com um telefone e suas funções infinitas como pesquisa, chamadas em espera, reencaminhamento de chamadas, identificador de chamadas, correio eletrónico, etc. e porque a mente das pessoas está cheia de informações e opções a mensagem que temos de transmitir tem de ser clara simples e visual.
           Informação rápida:
  • Que imagem usa para transmitir a sua mensagem?
  • Consegue criar a expectativa de que é confiável e qualificado?
  • A publicidade que produz distingue-o dos outros?
  • Os seus materiais são feitos com a melhor qualidade?
  • Consegue dominar a arte de criar uma grande primeira impressão?
  • Não crie estereótipos negativo?
  • Simplifique tudo. Crie mensagens simples e claras. Coloque as pessoas confortáveis com clareza e simplicidade
  • Faça chamadas a frio (cold calls).
  • Coloque os jornais a rádio ou na TV a falar de si.
  • Faça publicidade.
  • Um artigo pode levar a um longo caminho. Editores dos jornais locais estão sempre à procura de material para preencher o espaço.
  • Seja um escritor profissional, numa revista, ou num blog digo eu! É um ´serio investimento no seu público e de relações públicas!
  • Obtenha depoimentos, mas cuidado com eles. Só funcionam se a pessoa tem testemunho credível e autoridade.
  • Evite o uso de palavras como de classe mundial, certificada ISO, qualidade superior. Em vez disso, substituí-as com provas.
  •  Evite superlativos. Evite clichés, utilize o discurso direto.
  • Seja específico. A chave é ser breve. As pessoas querem a sua informação rápida e direta.
  • Deve descrever o que o faz diferente e excelente, em 25 palavras ou menos.
  • Prepare uma mensagem que todos percebam, edite-a e reescreva-a até o conseguir
  • Verifique se o seu modelo de campanha é o da vodka Absolut. Simples, visual, implícita, diferente, e obsessivo. “Absolut brilliance”.

Armando Fernandes
Business Coach